ISSN: 2447-2662
  • Branca Ícone Spotify
  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone Instagram

Literágora

O Literágora    é a nossa coluna. Aqui, os integrantes da equipe publicam seus textos, poemas, resenhas, trovas do cotidiano e de tudo um pouco.  Conheça um pouco mais sobre os autores e as suas publicações .

February 18, 2019

Selma, Alabama nos Estados Unidos, para um despercebido, é apenas mais uma cidade onde o vento passeia junto com as atividades irrelevantes de seus moradores. Com 18.370 habitantes (2017), a cidade possui uma arquitetura típica do antigo sul do país, com edifícios baixos e casas centenárias, mas seu passado está longe de ser pacato.

Escolhida como centro das atividades da luta contra desigualdade racial presente em alguns estados sulistas americanos pela SNCC (Student Nonviolent Coordinating Committee, em tradução, Comitê de Coordenação Estudantil Não Violenta) e pela SCLC (Southern Christian Leadership Conference, ou Conferência da Liderança Cristã do Sul) - tendo essas organizações como figura central e visada tanto pela força policial quanto pela mídia internacional o próprio Luther King - e também como um dos pontos de segregação racial nas esferas de direitos civis.

O simbolismo que toda parte urbana de Selma carrega é poderosamente centralizado na ponte Edmund Pettus. Sua...

November 19, 2018

“O brasileiro é um povo esplendidamente musical”

              - Mario de Andrade

Jacob do Bandolim: leitor, você o conhece? Não me espantaria se não o conhecesse. Enquanto jovem brasileiro, sei que o Brasil desempenha

um excelente trabalho fazendo cultura, mas costuma ser péssimo disseminando-a. Simplesmente, Jacob do Bandolim é, muito provavelmente, o maior bandolinista da história. Considerado por muitos como um dos mais importantes instrumentistas da música brasileira, compôs inúmeros clássicos brasileiros do século XX, como Noites Cariocas, Doce de Coco e Vibrações. O ano de 2018 marca o centenário do nascimento desta figura lendária, cuja trajetória pessoal e musical serve de grande inspiração.

Filho de um farmacêutico capixaba e uma polaca – nome dado às prostitutas polonesas que vinham ao Rio de Janeiro no final do século XIX –, Jacob Pick Bittencourt começou a tocar bandolim por volta dos 12 anos de idade. Crescido no bairro da Lapa, no Rio de Janeir...

November 4, 2018

Jean-Michel Basquiat (1960-1988) é um dos tradicionais artistas da Nova York dos anos ’70. Em meio à ascensão da cultura do hip hop e do punk, foi responsável por levar os grafites às maiores galerias e contestar o elitismo da arte clássica.

Num sábado de muito sol no Centro do Rio, eu, Apa e Vergette fomos ao CCBB ver a mostra de desenhos, quadros e gravuras de Basquiat.

A exposição começa apresentando os grafites de Basquiat produzidos junto com seu amigo de escola, Al Diaz, artista das ruas de Manhattan que começou a grafitar aos 12 anos. Os dois participavam, com outros estudantes, da revista estudantil Basement Blues Press    e    foi elaborando um artigo para a revista que Basquiat concebeu a ideia do SAMO© (sigla para Same Old Shit) que, para ele, seria uma guilt free religion.

Em 1978, Diaz e Basquiat começaram a reproduzir SAMO© nas paredes de NYC, permanecendo no por pouco tempo, até venderem o artigo SAMO© Graffiti: BOOSH-WAH or CIA? Para a revista Village V...

October 15, 2018

Caras leitoras e caros leitores,

Peço a licença de vocês pra fazer um post do Arquivo Ágora que é mais pessoal do que os outros. Quando escrevi sobre a Queermuseu, conversei com a equipe sobre ter a mesma prerrogativa, então talvez seja um problema meu não saber separar arte de personalismos. Mas peço que aturem essa dificuldade mais uma vez.

Faz quatro dias que visitei a exposição "Mulheres Radicais", na Pinacoteca de São Paulo, e continuo vendo as fotos, lendo o catálogo assiduamente e pensando nas obras sem parar. Espero fazer uma breve e completa recapitulação a vocês, sem deixar nenhum detalhe precioso de fora.

A exposição começa com uma contextualização que se faz necessária aqui também. As artistas são todas mulheres e latinoamericanas, e os trabalhos são datados de 1960-1985. Antes da entrada, na parede, uma linha do tempo. O Brasil foi um dos países que concedeu às mulheres o direito de votar mais cedo, em 1932. Os países latinoamericanos passaram, nesse lapso temporal, por ditad...

September 30, 2018

Amarelo. Cor chamativa, forte, muito visível. Símbolo de alerta, atenção, indicação. Urgência.

Não à toa é a cor escolhida pra representar o mês mundial da Prevenção ao Suicídio. Isso é assunto amarelo, importantíssimo. E, além do suicídio, é importante também falar sobre outros distúrbios mentais.

Ansiedade, depressão, síndrome do pânico, pensamentos suicidas. Uma lista de distúrbios que a sociedade vê de forma muito equivocada e que, na verdade, são vividos ativamente por nós. 

Já ouvi falar que, antigamente, o conhecimento desse tipo de coisa era muito limitado. Não é raro ouvir pessoas de gerações anteriores dizendo que, na época deles, isso tudo não existia... Só que existia sim. Na verdade, naquela época, as pessoas que tinham esses distúrbios eram consideradas loucas.

Loucura (sic.): Sentimento ou emoção que foge ao controle da razão.

De fato, se levarmos em consideração o significado da palavra, podemos perceber que muitas vezes esse tipo de problema expõe sentimentos que não condiz...

September 23, 2018

Uma coisa que eu admiro muito sobre a escrita é a sua singularidade. Pessoalidade. Pra mim é quase como se fosse uma conversa íntima com alguém que está abrindo as portas dos rios dos seus pensamentos. Coisa doida. Acho muito interessante que diversas pessoas possam contar um fato idêntico através de muitas lentes, muitas culturas, formas e gostos distintos. Um fato presenciado por pessoas diferentes pode virar um texto, uma música ou uma trova. Alegria ou trauma, felicidade ou tristeza. Que bom!

O irônico é que tradicionalmente se fomenta muito na sociedade o que se pode chamar de um efeito-rebanho: As pessoas tendem a se padronizar, se misturar, encaixar naquilo que lhes é designado e assim acabam passando despercebidas, aéreas, deixando de valorizar esse sopro que é a vida. Fazer parte do rebanho é tentador, quase que uma solução fácil para os tortuosos e enigmáticos desafios que nossa vida nos fornece. Mas será que ela não te reserva algo melhor? Ninguém se destacou fazendo o mesmo...

September 16, 2018

A Queermuseu invadiu o Rio de Janeiro. Apesar de calada em Porto Alegre, por ter sido suspensa antes do tempo previsto, a exposição voltou. Mais questionadora, mais polêmica, mais queer, vem acompanhada do subtítulo mais do que adequado: "Cartografias da Diferença na Arte Brasileira".

A exposição rompe paradigmas há muito tempo. Além de instigar debates sobre o que é arte e o que o deixa de ser, abre espaço para artistas manifestarem pautas frequentemente marginalizadas e invisibilizadas. Daí a importância de, mesmo com toda a censura realizada previamente, no Santander Cultural, a mostra voltar e retratar questões de gênero, de diversidade cultural e de lutas raciais.

As obras são extremamente intensas. Não há nada que não estimule reflexões sedentas por espaço no debate artístico brasileiro. Nossa arte é elitizada. Desde o acesso à matéria prima até o networking necessário para expor em reconhecidas galerias, passando, inevitavelmente, pelo conteúdo das obras produzidas, tudo isso é di...

September 9, 2018

Sinopse

Um Pequeno Favor é o livro de estreia de Darcey Bell. O livro conta a história de duas melhores amigas: Emily e Stephanie. Quando Emily pede a Stephanie para buscar seu filho Nicky na escola, ela facilmente concorda. Afinal, é isso que amigas fazem. Mas, conforme o dia vai passando, Emily não volta para buscar o seu tão amado filho. Não atende o telefone, muito menos responde as mensagens de texto, o que nunca acontecera antes. Desesperada e sabendo que algo está errado, Stephanie tenta buscar ajuda em seu blog, mas sem sucesso. O que será que aconteceu com Emily?

Resenha

O livro promete logo em sua capa ser o sucessor de “Garota Exemplar”, o que não é o caso. Ainda que trate de um mistério e que traga reviravoltas, você simplesmente demora para se importar com os personagens. A cada reviravolta o livro se parece mais com uma novela mexicana e menos com livros como “Garota Exemplar” e “A Garota no Trem” (outro livro espetacular de mistério).

Mas, justamente pela trama parecida com...

September 5, 2018

As vidas mais perturbadas ensaiavam seus caminhos no sorrir das estrelas do último domingo. Mesmo os de casa própria ou os de morada nas ruas, nosso inconsciente toque de recolher sussurrava um “já é tarde”. Passos largos encardiam os pés dos que andavam. Mãos ofegantes suavam o volante dos que dirigiam. As cortinas se fechavam para o primeiro domingo de setembro no Rio de Janeiro e, se segunda-feira não tivesse demorado tanto a se levantar, talvez o grande-esquema-das-coisas esquecesse do fogo carrasco que fez acinzentar o Museu Nacional.

Ungidos no espírito do tempo, museus guardam itens de valor inestimável. Afrescos, ornamentos, pinturas, relicários fósseis e outras inumeráveis expressões da Arte e da História marcham compassadamente a fim de alinhar as vértebras da trajetória humana fora dos domínios mercadológicos. Tão sacros para a História como são as igrejas, templos, mesquitas e terreiros para as Religiões, museus são revestidos de patrimônio cultural....

August 20, 2018

Claude Monet (1840-1926) é conhecido por suas pinturas ao ar livre que vieram a definir o movimento impressionista, de que ele é membro. Ainda que suas representações de jardins, rios, campos e costas da França sejam as mais famosas, Monet também, por 5 décadas da sua longa carreira de 60 anos, dos anos 1860 até o início dos anos 1910, usou a arquitetura como forma de expressão de sua arte. O resultado disso encontrei na exposição Monet & Architecture, curada pelo Credit Suisse, no último mês em Londres.

A exposição começa mostrando a Normandia, onde Monet cresceu (aberta com a obra The Lieutenance at Honfleur, 1864), e segue refletindo o conceito de “paisagem pitoresca”, estética originada na Inglaterra no século XVIII que via beleza particularmente em prédios antigos posicionados em ambientes rústicos. A percepção do pintor sobre as paisagens pitorescas nunca foram convencionais, mas ainda assim são interessantes de se notar uma vez que Claude Monet é majoritariamente associado com ar...

Please reload